...É PRECISO TER ASAS,PARA SE AMAR O ABISMO...

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Foto de: fotógrafa

MEMÓRIA DE FLOR



Contemplo e respiro uma flor;

Vem-me à memória o perfume do amor.

E logo se avoluma a tentação de aprofundar

Os meandros da flor

E do amor.



Uma flor é uma flor.

Pedúnculo, cálice e corola

Sépalas e pétalas

Androceu e gineceu.



E o amor?O amor é o amor.

E mais não sei dizer.Sei que viver sem amor não é viver.

Faz lembrar o estertor da morte antes do tempo aprazado.

Se muito amei muito mais teria amado

Se a vida me tivesse consentido

Manifestar todo o amor sentido.



Segurei o pedúnculo do amor e fiz dele uma bandeira,

Um arauto para a vida inteira.

Das sépalas do amor fiz o meu cálice de amargura e de prazer

Das pétalas coloridas alimento,

Meu sustento,

Meu modo de sentir e de viver.





Androceu

De estames assanhados

Vou emitindo ao gineceu

Os meus recados

Para não sucumbir neste vale de lágrimas reprimido

Neste mar encalhado

À espera do melhor:

Do amor ainda não vivido.



Será o amor este perene desejo

Que transforma uma carícia

Um beijo

A mais leve blandícia

Em fonte de doçura e comunhão?

Talvez sim… talvez não…



Será o amor

Este movimento

Ora lento

Ora apressado

Este bater compassado

Do berço à sepultura

Entre o ódio e a ternura

Deste nosso humano coração?

Talvez sim… talvez não…



André Moa

3 Comentários:

Blogger Zé do Cão disse...

minha sonhadora.

Um bom fim de semana sem chuva é que desejo.

17 de outubro de 2008 02:24  
Blogger Vício disse...

gostei da aula de biologia...

17 de outubro de 2008 06:15  
Blogger fotógrafa disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

17 de outubro de 2008 14:58  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

<

Powered by Blogger

Assinar
Postagens [Atom]