...É PRECISO TER ASAS,PARA SE AMAR O ABISMO...

quinta-feira, 13 de novembro de 2008



A palavra é uma estátua submersa,

um leopardo que estremece em escuros bosques,

uma anémona sobre uma cabeleira.

Por vezes é uma estrela que projecta a sua sombra sobre um torso.

Ei-la sem destino no clamor da noite,

cega e nua,mas vibrante de desejo como uma magnólia molhada.

Rápida é a boca que apenas aflora os raios de uma outra luz.

Toco-lhe os subtis tornozelos,

os cabelos ardentes e vejo uma água límpida numa concha marinha.

É sempre um corpo amante e fugidio que canta num mar musical o sangue das vogais.


(António Ramos Rosa)

2 Comentários:

Blogger O Viriato disse...

A P-A-L-A-V-R-A é também:
P oder
A utoridade
L iberdade
A titude
V erdade
R igor, e outors
A fins...

Boa escolha, especialmente numa época em que a palavra parece estar em saldo e nada valer, vconforme se extrai do nosso PM, sim aquele que disse que a prioridade do Magalhães é o ENSINO e vemos Magalhães em tudo o que é sitio MENOS a escola: enfim, homem sem palavra.

Saudação com amizade

13 de novembro de 2008 07:13  
Blogger duarte disse...

fiquei sem rimas,nem "prósices"
o homem falou...
duarte no vale

13 de novembro de 2008 15:15  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

<

Powered by Blogger

Assinar
Postagens [Atom]