...É PRECISO TER ASAS,PARA SE AMAR O ABISMO...

sexta-feira, 11 de julho de 2008


O pensamento voa para lá do infinito,
Para lá do horizonte, onde te fito!...
Como ave imponente, assim vai o pensamento,
Rasgando o céu do sonho,
Passeando no mar de fantasia, onde te encontro,
Onde te enlaço,
Onde te beijo e te abraço...


(Euzinha)

5 Comentários:

Blogger Gaivota disse...

Lindo este pensamento sem titulo mas cheio de sentimento.
beijo

11 de julho de 2008 15:56  
Blogger Eira-Velha disse...

Lindo!

11 de julho de 2008 23:58  
Blogger Andre Moa disse...

A amizade não é tão veloz como o pensamento, mas é mais sólida.
Beijinhos
Meuzinhos

12 de julho de 2008 09:04  
Blogger © efeneto disse...

Pensamento sentido. beijo na "euzinha" e em você...sempre recebe dois.

**

Hoje deixei,
a minha "Jangada de Estrelas" ancorada...
Ancorada aos cais da preguiça celeste.
Hoje vou a pé pelas pontes do infinito que cintilam.
Ver esses reflexos dormentes que suportam a noite,
e pisar esse frio vidrado das pedras que a compõe,
feitas de mil brilhos...
Vou ver monumentos de silêncio às Galáxias,
sentir os meus pés sangrarem de estrelas,
e esvaiarem-se em quasares de diamante,
até me cansar e adormecer...
Dando um sorriso do tamanho das estrelas...
Apenas com uma mochila de caminhante às costas,
sem ter a preocupação se o vento cósmico me levará a "Jangada de estrelas",
por gozo ou por rigor, para o longe translúcido dos oceanos de estrelas.
Hoje vou de mochila de pulsares palpitantes às costas...
Desejar um bom fim-de-semana aos amigos.
Você faz parte deste caminho.

12 de julho de 2008 14:01  
Blogger © efeneto disse...

Pensamento sentido. beijo na "euzinha" e em você...sempre recebe dois.

**

Hoje deixei,
a minha "Jangada de Estrelas" ancorada...
Ancorada aos cais da preguiça celeste.
Hoje vou a pé pelas pontes do infinito que cintilam.
Ver esses reflexos dormentes que suportam a noite,
e pisar esse frio vidrado das pedras que a compõe,
feitas de mil brilhos...
Vou ver monumentos de silêncio às Galáxias,
sentir os meus pés sangrarem de estrelas,
e esvaiarem-se em quasares de diamante,
até me cansar e adormecer...
Dando um sorriso do tamanho das estrelas...
Apenas com uma mochila de caminhante às costas,
sem ter a preocupação se o vento cósmico me levará a "Jangada de estrelas",
por gozo ou por rigor, para o longe translúcido dos oceanos de estrelas.
Hoje vou de mochila de pulsares palpitantes às costas...
Desejar um bom fim-de-semana aos amigos.
Você faz parte deste caminho.

12 de julho de 2008 14:01  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial

<

Powered by Blogger

Assinar
Postagens [Atom]